Pular para o conteúdo

Hedonismo: Revivendo a moda da década de 1960

REVIVENDO A MODA DA DÉCADA DE 1960

[2ª Parte]

Por Rosane S. F. Guerin

A moda geralmente é encarada como algo sempre do tempo presente, da atualidade, ao contrário disso é estar fora de moda, mas não seria bem assim, pois a moda sempre passa por um processo de construção, diríamos a construção de um processo de criação por parte dos seus criadores ou costureiros de moda, assim eram considerados no passado, sendo estes os profissionais que produziam a moda já há mais de um século.

Ora, a moda é sempre relida, refeita, reconstruída e deixa registrada os seus grandes feitos no passado para serem conhecidos ou reconhecidos no presente, ou seja, sem uma moda do passado é difícil construir uma moda do atual. Por isso reviver a moda é sempre um ato de buscar na memória o que já se fez e se criou.

Assim nossa série de revivals of fashion continua a todo vapor, anteriormente falamos um pouco sobre a moda dos anos de 1950 e segue em ordem cronológica para os anos de 1960 que já nos traz muitas mudanças nos modos de se vestir, mas não somente no estilo da moda, como nos modos de vida e comportamentais que se iniciaram nesta época e marcaram épocas posteriores. A força da emancipação feminina, fez com que as mulheres se libertassem no seu comportamento em geral, usando roupas mais sensuais, mas não necessariamente tão curtas, dando destaque para as cores fortes, o corte de linha geométrica e os tecidos sintéticos que começam dar as suas caras.

Vejamos nos desenhos do figurinista Alceu Penna, como ele mesmo propõe um conjunto de figurinos de moda feminina de 1964, os modelos são construídos nos detalhes e cores diferentes, sendo estes exclusivamente idéias francesas dos criadores de moda de Paris, como o robe manteau azul de Jean Patou, também de Pierre Cardin no seu traje de um tailleur azul com grandes golas, e por fim os dois últimos modelos de Christian Dior, vivo como nunca e suas referências nunca serão esquecidas! Estes dois trajes, ambos um conjunto tipo blusão com saia, assim era chamado na época, um na cor amarelo mostarda e o outro em rosa.

Comparando com a moda de hoje, veremos que os detalhes permanecem semelhantes, o uso dos acessórios como cintos, são freqüentes, os casacos tipo vestidos ainda permaneceram ao longo do tempo. Quem disse que existe o tal “fora de moda”? A moda vai e vem, transita pela linha do tempo permanentemente! Que os nossos olhos se voltem para o passado e assim construirmos a nossa atualidade.


Desenhos de Alceu Penna para a Revista O Cruzeiro em 1964.

Criações de Pierre Cardin, Jean Patou e Christian Dior.

Fotos de thumbnail para o desfile da coleção Marc by M. Jacobs em Nova Iorque Inverno/2007.

 

 

Sobre a autora

Rosane Schmitz Fernandes Guerin tem graduação no Curso Superior de Moda, modalidade Coordenação de Moda, pela Universidade Anhembi Morumbi (2000). Especialização em Moda: Criação e Produção pela Universidade do Estado de Santa Catarina/UDESC (2002). Mestrado em Educação e Cultura pela Universidade do Estado de Santa Catarina/UDESC (2007). Mestrado em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo/PUC-SP (2009).

 

1 Comentário »

  1. Antigamente sem a internet era dificil ter acesso a esta informação. Mas agora já tenho o seu site aqui nos favoritos e volto cá sempre que posso! Obrigado!

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: