Escapatórias: Para quem foge da folia

4 Dias de desbunde
em 4 possibilidades de prazer
(
longe do Carnaval)

  

Não adianta: o público que foge da folia e aproveita a paz dos grandes centros urbanos, enquanto a maioria da população cai na farra carnavalesca, existe e quer ter o que fazer, pelo menos em parte do tempo. Como para quem curte a festa basta gandaiar, resta dar uma mãozinha à criatividade de quem vai ficar no cordão do saco cheio. Mas, de forma breve, porque esse feriado passa rápido. Muito rápido!

  

 

Lobisomem de Joe Johnston: só clima!

1. Com uma transformação boa pra caramba, Lobisomen não tem mais elogios que esse para arrancar da platéia. Cheio de sustinhos e uivos, o filme que parecia ser uma grande promessa da temporada tem um enredo fraco e um roteiro mais fraco ainda, acabando com as nossas esperanças de bom entretenimento com o tema. De qualquer modo Benício Del Toro está bem, obrigada; Anthony Hopkins continua atuando sem fazer maiores esforços; e,  Emily Blunt permanece aguardando o grande papel de sua carreira. Tire um tempo para assistir o filme Lobisomem (The Wolfman), apenas para  poder criticar os defeitos e amaldiçoar a direção de Joe Johnston. É possível gostar da brincadeira! 

Foto extraída do blog de Barbara Falcone, em: http://barbarafalcone.wordpress.com

Apesar de ser fechado no dia 16, o Mercado Municipal de São Paulo ficará aberto em todos os outros dias de folga. Quem estiver na cidade poderá passear entre as cores, aromas, paladares e sons do ambiente que emociona por sua variedade tátil de atrações inusitadas como as frutas de que nunca ouvimos falar, os gigantescos sanduíches de mortadela  que tem em seu entorno muita conversa e detalhes de arquitetura, trazendo informações de tempos remotos. Uma proposta de brincadeira com os sentidos a ser transferida para um mercadão municipal ou qualquer equivalente em todas as regiões do país. Coloque-se à disposição. 

 Em casa, a pedida é não se cansar demais. Para isso, nada de ficar fazendo muita comida e sujando muita louça. Busque um cardápio variado de fingers food, comidinhas nem sempre fáceis de fazer, mas que, depois de prontas, poderão ser degustadas com as mãos, sem pratos e talheres. No máximo um guardanapinho de papel. Você pode variar fazendo as miniaturas de receitas grandes e mais complexas, como as quiches, por exemplo, mas também, pensar em deeps para mergulhar torradinhas, sticks, além de variados canapés. Sanduíches encrementados e salgadinhos também entram na lista. Em BBel Um estilo de vida, você pode ter várias ideias para comer bem usando somente os dedinhos: http://bbel.uol.com.br/culinaria/tipo-prato/finger-food.aspx

Jardim das Rosas em São Paulo. Verde: um caminho para a descontração.

Viva o verde! Estar em plena comunhão com a natureza é importante para relaxar, pelo menos um pouco. Descubra um parque local e vá para lá. Faça um piquenique, jogue bola, ande de bicicleta, coloque a leitura em dia, mas distraia-se. Respire fundo e aproveite a brisa por entre as folhagens. Você voltará renovado(a) e poderá fazer disso um hábito. Principalmente, se for pertinho de casa.