Editorial

2021: o ano mais esperado da história

Muitas perguntas sem resposta na chegada do novo ano

MUITA COISA PARA ACONTECER – assim como 2020, 2021 chega trazendo muitas expectativas, positivas e negativas, para um mesmo expectador. Gostos, desgostos e contragostos nos fazem sacudir as velhas estruturas em busca de um ano mais tranquilo e favorável, mas o que será que está por vir em futuro tão próximo?

Ainda que imerso em perspectivas nem tão animadoras, o otimismo persiste nesse breve tempo de reinício. E nos faz reunir forças para organizar um recomeço, qualquer, e nos incita a fazer perguntas intermináveis, com um sorriso de criança à espera do presente, exigindo respostas favoráveis ao léu, ou dos melhores amigos, da tia sábia, dos grandes mestres, filósofos e ascensos, da borra de café, do tarot e dos outros oráculos, on e off, para perguntas como: – será que os erros serão reparados? Será que as vozes serão ouvidas? Será que as vidas serão salvas? Será que a polarização toma um rumo mais satisfatório para todos ou pelo menos para a grande maioria numérica? Será que o Brasil toma jeito e forma? Será que as contas serão pagas? Será que haverá emprego para as massas de desempregados? Será que as crianças nos morros e nos becos vão deixar de ser estatística? Será que as lives vão continuar? Será que vai ter seringa? Será que vai ter vacina? Será que a vacina dará conta do COVID e de tudo que veio junto com o vírus?

Enquanto só pudermos fazer perguntas, o jeito é seguir vivendo à espera de respostas.

Feliz Ano novo para todos nós.
Silvia Regina Guimarães
Editora